Washinton Quaquá e Neilton Mulim
Os dois prefeitos, Neilton Mulim (PR), de São Gonçalo, e Washington Quaquá (PT), de Maricá, já podem dar as mãos: Os dois compraram a mesma briga, contra o monopólio no setor, das empresas de transporte, que uns chamam de 'público', mas você paga mais de R$ 3,00.

O corajoso prefeito Neilton, em sua promessa de campanha, prometeu vans com passagem popular a preço R$ 1,50, logo depois, a justiça mandou ele retirar as mesmas, mas agora, não desistindo e persistindo em realizar pelo menos essa promessa, o senhor Mulim enviou mensagem à câmara municipal, que será votada amanhã, dia 29/07, para alterar a lei, onde a 'querida, amada e humilde' ex-prefeita Aparecida Panisset (PDT), assinou contrato dando ao 'consórcio São Gonçalo de transporte' total direito de explorar o setor de transporte no município, e que por acaso, o prazo para valer esse contrato era o primeiro dia de governo do atual prefeito Neilton Mulim. Legal ela, não?

Agora, o sindicato dos rodoviários, diz a você que caso as vans voltem, eles serão demitidos. Falaram também que a mensagem do prefeito enviada à câmara vai ameaçar e deixar pais de família sem emprego, mas sabemos que não é bem assim. As vans só vão voltar a circular, e diferente às empresas de ônibus, as vans não querem monopolizar o município. Além disso, caso seja aprovado, o que provavelmente ocorrerá devido a vários vereadores já declararem seu voto SIM, os rodoviários farão greve. Será que não dá para todo mundo? São Gonçalo é muito grande! Dá para ônibus e vans! 

Em Maricá, o também corajoso senhor Quaquá, já declarou guerra às viações Amparo e a Costa Leste. A 'justiça', mandou tirar das ruas os ônibus municipais com tarifa zero, mas a justiça que era para estar do lado do cidadão, não vê que depois das 23h, apenas os vermelhinhos podem levar os pais e mães de família para sua residência, esses que trabalham para sustentar toda uma família. A justiça também não vê a economia mensal que isso gera para as famílias. 

Segundo a prefeitura, a Amparo e Costa Leste, prestam à população, serviços precários, a ponto de pôr vidas em risco, o que foi provado com a ação fiscalizadora da EPT (Empresa de Transporte Público) de Maricá, nos ônibus das duas empresas, com pneus carecas e várias irregularidades e problemas. 

A deputada Rosangela Zeidan (PT), também conseguiu junto à Alerj, fazer com que outros municípios conheçam a 'Caravana da tarifa zero', que disponibiliza para outros municípios do estado saberem como é esta experiência da passagem de graça. Lembrando que o aumento de R$ 0,20 centavos, foi um dos motivos das manifestações que marcaram a história do Brasil em 2013, onde foi pedido que não houvesse aumento.

Diferentemente de Neilton, Quaquá está disposto a ser preso (como publicou em seu facebook) e fará como puder para fechar as empresas. Segundo o prefeito, nem que ele tenha que ser preso, mas não irá deixar que acabe com os direitos do povo. Há quem diga, que Quaquá está se preocupando demais com este problema, e que mobilidade não é o único problema da cidade, como vem se preocupando muito o prefeito. Segundo os internautas, que não perdoam nada, Maricá necessita de melhorias na saúde, limpeza na lagoa e também melhorias na segurança pública e várias outras áreas.

No dia 29/07/2015, o blog 'A política RJ' fará cobertura completa da votação histórica da câmara de vereadores sobre as vans com passagem social a R$ 1,50 em São Gonçalo.

Assuntos relacionados:
-> Quaquá quer cassar concessão da Amparo
-> Quaquá lutará com unhas e dentes por vermelhinhos
-> Câmara de São Gonçalo votará sobre vans a R$ 1,50
-> Rodoviários de São Gonçalo vão fazer greve indeterminada caso vans populares de preço R$ 1,50, voltem às ruas