Hoje em dia as crianças passam muitas horas na internet, em jogos e sites dos mais diversos. Observando essa realidade, a Secretaria Municipal de Educação resolveu incentivar uso deste tempo dos alunos de forma educativa. A subsecretaria de Tecnologia da pasta criou uma página no site da prefeitura chamada Fábrica de Jogos. 

Esta ajuda os estudantes de forma lúdica a compreenderem os conteúdos aprendidos em sala de aula. O criador da página é o subsecretário Cláudio Joaquim dos Santos Braga. Segundo ele, a interatividade auxilia na aprendizagem. "O uso das tecnologias desperta o interesse dos alunos. Essa interatividade ajuda o professor na hora de transmitir o conteúdo. O mais bacana é que esses jogos são personalizados à realidade de nossos estudantes", explicou Cláudio. 

O subsecretário também criou dispositivos nos jogos que incluem os estudantes com necessidades especiais. Teclados velhos de computador se transformaram em mesinhas, onde o estudante com problema de coordenação motora nas mãos pode tocar com o pé e jogar. Tem ainda som, que permite a participação de crianças com deficiência visual. "Comecei a desenvolver jogos para crianças autistas, que irão para a Clínica do Autista, a ser inaugurada pelo prefeito Neilton Mulim", contou Cláudio. 

O subsecretário acrescentou que os professores da rede pública municipal já estão sendo treinados a usar os jogos educativos e os dispositivos. Boa parte das escolas já trabalha com eles. Inicialmente foram feitos para estudantes do 1° ao 5° ano do Ensino Fundamental e depois, até os do 9° ano.  "Eu criei cerca de 60 jogos e pretendo elaborar 500 até o final de 2016. Vamos trabalhar para que São Gonçalo seja referência em tecnologia da educação", afirmou Cláudio. 

A professora Marta Nogueira, da Escola Municipal Raul Veiga, foi uma das que recebeu o curso de capacitação em tecnologia. "Me surpreeendi com o interesse dos alunos. Eles adoram participar das atividades no laboratório de informática", disse. 

A Fábrica de Jogos pode ser acessada no site: www.pmsg.rj.gov.br/educacao/fabrica. Os jogos podem ser experimentados por qualquer estudante. 

Fonte: Ascom
Autor: Anderson Madeira