O desembargador Plinio Pinto Coelho Filho, do Tribunal de Justiça, concedeu liminar suspendendo o decreto legislativo que afastou por 90 dia Arlei Rosa (PMDB) da Prefeitura de Teresópolis. A decisão foi encaminhada à Câmara Municipal e, com isso, Arlei deverá ser restituído ao cargo.
.O prefeito Arlei de Oliveira Rosa é suspeito de ter uma evolução patrimonial incompatível com a sua renda, um salário de R$ 14,7 mil. O Ministério Público do Rio de Janeiro instalou um inquérito civil público para investigar o caso, a partir de uma denúncia de que o prefeito possui uma propriedade rural em Sapucaia, a 40 quilômetros de Teresópolis, onde mantém um mini-zoológico particular. No local seriam criados animais exóticos e um haras com cavalos de raça que são vendidos em leilões por cerca de R$ 100 mil cada.
Segundo a denúncia recebida pelos promotores do MP, a propriedade de Sapucaia foi comprada por R$ 1,5 milhão, mas com as melhorias, hoje estaria valendo R$ 3,5 milhões.
No dia 18 de agosto, por oito votos a quatro, ele foi afastado pelo período de 90 dias da prefeitura. Na última quarta-feira (26), ele compareceu à Câmara dos Vereadores para prestar esclarecimentos à CPI. Ele entregou as declarações de imposto de renda e o contrato de arrendamento uma propriedade rural em Sapucaia. 
Fonte: G1 | Foto: Teresópolis 24 horas