Foto: Jornal O São Gonçalo
Ao ingressar no PSB em São Gonçalo, o vereador Marlos Costa lança publicamente sua pré-candidatura à prefeitura da cidade, em 2016. Em entrevista à revista eletrônica VERACIDADE, o político faz duras críticas ao seu antigo partido (PT) e à atual administração municipal. 

“Neilton Mulim parece que está dormindo na cadeira de prefeito. Depois de três anos, a impressão que dá é que ele ainda não começou a governar”, disparou Marlos. 

Marlos Costa está no seu segundo mandato como vereador de São Gonçalo, eleito pelo Partido dos Trabalhadores. Em 2014, foi candidato a deputado federal, obtendo mais de 19 mil votos. É bacharel em Direito pela UFRJ, auditor concursado do Tribunal de Contas do Estado e pós-graduado em Administração Pública, pela Fundação Getulio Vargas. Possui forte representação nos movimentos de base da Igreja Católica.

CONFIRA ALGUMAS PERGUNTAS DA REVISTA VERACIDADE E AS RESPOSTAS DO PRÉ-CANDIDATO MARLOS COSTA.

É verdade que você possui uma base de apoio à sua candidatura na Câmara Municipal?

Alguns vereadores já declararam publicamente apoio à minha possível candidatura, como Marco Rodrigues (PSD), Alexandre Gomes (PRTB) e professor Paulo (PT). São vereadores críticos à atual administração municipal.

Quais suas principais propostas eleitorais?

Na educação, elaborar uma nova política educacional, a fim de recuperar o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) de São Gonçalo; acabar com o sistema de ciclos e a aprovação automática; implantar a eleição direta para diretores de escolas municipais. 

Na saúde, criar clínicas de família, oferecendo as mais variadas especialidades médicas. Hoje temos mais de cem postos de saúde na cidade que não funcionam. 

Elaborar um mapeamento real das ruas sem pavimentação. A prefeitura atual não tem esse controle. Investir em mobilidade urbana, reformulando linhas de ônibus, e criando parcerias com os governos para trazer barcas, metrô e BRT para a cidade. 

Estimular os micro, pequenos e médios empreendimentos, criando incentivo para instalação de novas empresas em São Gonçalo.

Se eleito prefeito de São Gonçalo, qual o seu primeiro ato?

Minha primeira atitude seria cortar o desperdício na gestão pública. Reduziria de 60% a 70% a quantidade de secretarias municipais. Atualmente são mais de trinta secretarias, fundações e autarquias. E diminuiria pela metade o número de cargos em comissão na prefeitura. Hoje são mais de 5 mil comissionados.

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA DE MARLOS À REVISTA VERACIDADE: 
http://veracidaderj.com.br/marlos-admite-que-e-pre-candidato-a-prefeitura-de-sg/