Fotos: Marco Speziali
Não é de hoje que a oposição na câmara, em São Gonçalo, vem falando da situação financeira da câmara. O vereador Alexandre Gomes não se aguenta, e assim como o vereador Marco Rodrigues, quer saber onde que está todo o dinheiro da prefeitura pago em contratos.

O vereador Alexandre falou que nos DCO's não há materiais para realizar serviços como a restauração de calçadas. O vereador então se questionou de onde que está o dinheiro da cidade, onde estão R$ 400 milhões de reais. 

- "E a Marquise, que tem um contrato de R$ 50 milhões por ano, tá parando por falta de pagamento. A CHM tá parando por falta de pagamento, as clínicas estão parando por que os laboratórios não recebem há quatro meses. E o contribuinte que precisa marca uma consulta ou exame não consegue marcar", disse o vereador.

O vereador Alexandre, criticou o atraso no pagamento e disse que os trabalhadores tem direito de receber pelos seus serviços prestado, e disse também que a única coisa que funciona de graça é relógio. 

O vereador lembrou que fizeram uma comissão conjunta e convocaram todos os secretários para auxiliar o prefeito na administração financeira da cidade, para que hoje a cidade não se encontrasse nessa situação, mas, poucos secretários apareceram. - 'O rombo da cidade é maior do que vocês imaginam. Parou os equipamentos, agora parou o lixo, as clínicas, laboratórios estão parando, aonde nós vamos chegar', disse Alexandre.

O vereador Marco Rodrigues finalizou as falas do vereador Alexandre, e ainda disse que nenhum dos requerimentos feitos pela comissão foram atendidos pelo executivo. - "O poder executivo cerceou e vem cerceando o dever dessa casa, que é fiscalizar o poder executivo", disse o vereador Marco.

O vereador criticou o executivo, que não solicitou a nenhum fornecer do município para que compactuasse os acordos e que em momento nenhum reduziu os salários dos cargos comissionados, que hoje são quase 10 mil. 

"Aí nós somos surpreendidos com duas mensagens nessa noite, e eu não quero acreditar que isso partiu do chefe do poder executivo, onde ele [...] manda uma lei que tem dois artigos: um dos artigos o prefeito pede assim, ó: Fica o poder executivo autorizado a contratar operação de alienação dos ativos nos termos do previsto na resolução 43 de 2001 do senado federal, ou seja, senhores, o prefeito quer que essa casa dê um cheque em branco para que ele faça o que ele quiser com os mínimos ativos que essa município possui. Eu já chamei ele aqui, o governo, de exterminador do futuro, por que fazer um empréstimo de R$ 170 milhões para pagar quase R$ 1 bilhão de reais, no atual momento de crise [...], mas você não vai pegar empréstimo para jogar no chão." Disse o vereador Marco.

Assim, o vereador Marco Rodrigues criticou, e disse que o prefeito quer que a câmara autorize um empréstimo para pagar futuros empréstimos que o governo possa contrair.

O vereador Alexandre Gomes, de volta com a palavra, se questionou de o porque o governo não corta 50% dos cargos comissionados, como fez Dilma, por que não reduz em 30% o valor de contratos, como Pezão. O vereador ainda falou que isso é uma armadilha, um empréstimo para o prefeito fazer política para eleger seus secretários. (Leia sobre isso AQUI)