Foto: Divulgação/facebook
O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, acompanhado do deputado federal Chico D’Ângelo, e da secretaria de saúde de Niterói, Solange Oliveira, reuniu-se na tarde desta quinta-feira (5.11) com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, em Brasília, para reivindicar a recomposição dos repasses daquela pasta para a cidade, que tiveram queda de aproximadamente R$ 30 milhões de 2014 em relação a 2015.

Para o ministro, Neves relatou situação herdada por sua administração especialmente o quadro dramático encontrado na saúde, com unidades fechadas e outras em péssimo estado de conservação.

O prefeito explicou que mesmo diante do quadro de insolvência financeira conseguiu, após um choque de gestão, investir na abertura, reforma e melhoria de unidades, oferecendo mais alternativas para a população. No entanto, tais investimentos aumentaram os gastos no setor e, consequentemente, a necessidade de apoio do Ministério da Saúde.

Entre as ações citadas estão a reabertura da emergência pediátrica do Hospital Getulio Vargas Filho, o Getulinho, abertura da policlínica do Largo da Batalha, retomada das atividades das unidades Mario Monteiro e Carlos Tortelly, investindo mais R$ 150 milhões em recursos próprios na saúde.

Apesar desses investimentos, o fechamento do Hospital Universitário Antônio Pedro, a redução do atendimento das unidades estaduais na região leste fluminense, sobrecarregaram a rede municipal de Niterói. Exemplo disso é o volume de atendimentos do Getulinho. Na unidade, mais da metade dos atendimentos é proveniente de municípios vizinhos. No Mario,Monteiro, esse percentual é de aproximadamente 40%.

“É insustentável que o Ministério da Saúde reduza recursos e a Secretaria estadual de Saúde não repasse nenhum centavo para a manutenção da rede de Niterói, que atende municípios vizinhos. Atualmente 72% dos recursos da saúde de Niterói são municipais, 26% federais e apenas 2% da secretaria estadual de saúde. O SUS é um sistema que prevê o cofinanciamento da rede de saúde é isso não tem ocorrido em Niterói”, disse Neves.

O ministro se comprometeu a recompor parte das perdas de Niterói através das emendas apresentadas pelos deputados federais, que somam cerca de R$ 15 milhões, e a equipe técnica do Ministério ficou de analisar os motivos pelos quais houve a redução dos repasses para a cidade.

Ao final do encontro, o ministro Marcelo Castro disse que o Ministério vai avaliar a situação.

“Temos dados concretos trazidos pelo prefeito que vem fazendo um trabalho extraordinário. A saúde municipal melhorou em Niterói e nós somos parceiros. E vamos ajudar no que for possível. É claro que estamos vivendo um momento muito grave de crise e nessa dificuldade vamos precisar otimizar os recursos para atender os pleitos trazidos, levando em consideração essa dificuldade que estamos passando. Sobre a questão da redução dos repasses já determinei análise de nossa equipe para saber o que efetivamente ocorreu e, se for o caso, corrigir distorções, pois não era para isso estar acontecendo”.

Fonte/texto: http://www.atribunarj.com.br/noticia.php?id=15642&titulo=NITER%D3I%20COBRA%20RETOMADA%20DE%20INVESTIMENTOS%20FEDERAIS