Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior
Foto via Expressão Oceânica 
Embora só vá assumir sua pasta-bomba em janeiro, o futuro secretário de Saúde do estado, Luiz Antônio Teixeira, já voa hoje para Brasília. Vai encontrar o ministro da Saúde, Marcelo Castro.

Vai pedir mais recursos.
Mas vai cobrar também. Quer saber, por exemplo, por que a Bahia recebe R$ 112,4 milhões por mês em repasses do Sistema Único de Saúde (SUS) para atendimentos de Média e Alta Complexidade (MAC), enquanto o Rio tem que se contentar com módicos R$ 48 milhões.

A volta
A primeira opção do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) para substituir Felipe Peixoto era ter de volta Sérgio Côrtes, secretário durante todo o governo Sérgio Cabral.

Mas o moço, hoje uma espécie de grão-vizir da Rede D'Or, declinou. Sugeriu o nome de Luizinho, secretário em Nova Iguaçu.

Entre os elogios que fez ao indicado, disse que ele está acostumado a lidar com poucos recursos, não é político, não é filiado a partido algum, não é pré-candidato a prefeito...