Foto: Prefeitura de Itaboraí
A concessionária Autopista Fluminense, responsável pela rodovia BR-101, começou ontem a retirar parte da barreira instalada às margens da via, na altura de Manilha (Itaboraí), no sentido Sul (em direção à Alcântara, em São Gonçalo). A medida atende à solicitação da Prefeitura de Itaboraí e vai permitir aos motoristas que saem da cidade em direção a São Gonçalo não precisarem mais seguir pela via auxiliar, aliviando o trânsito na pista. 

Ontem, o prefeito de Itaboraí, Helil Cardozo, visitou o trevo de Manilha junto com representantes da Autopista, da Polícia Rodoviária Federal, empresários e moradores da região, para discutir mais medidas visando reduzir os engarrafamentos na via. Eles estiveram nos dois lados da rodovia, buscando soluções. 

No sentido Norte, a Secretaria Municipal de Transportes vai alterar a mão de algumas ruas internas de Manilha, amenizando o acúmulo de veículos na via lateral próxima à passarela, como a inversão no sentido da Rua Prefeito Jonathas Pedrosa. A Prefeitura e a concessionária também realizam estudos para melhorar o fluxo de carros na pista, sem interferir na segurança dos pedestres. Já no sentido Sul, é estudado o aumento da capacidade de recuo dos ônibus no ponto em frente ao posto de comubustíveis JB, na altura do viaduto de Manilha, para melhorar o tráfego na pista lateral, além dos acessos de entrada e saída do posto, em direção à BR-493, para quem vai em direção ao bairro de Itambi. 

Também é estudado a viabilidade da liberação do tráfego da Rua Inês Garcia como opção de retorno da BR-101 para Alcântara, próximo ao Motel Surf. 

“Essas são apenas as primeiras ações. Vamos continuar monitorando, e na próxima semana faremos mais um reunião para decidir os próximos passos. Essa visita técnica foi muito importante pra vermos de perto o que deverá ser realizado. Não vou descansar enquanto não resolver esse problema”, afirmou Helil Cardozo.

Segundo o gerente de tráfego da Autopista, Edivaldo Braga, as próximas ações serão pensadas e realizadas a partir dos resultados obtidos com essas mudanças. “Precisamos de aproximadamente uma semana para observar e sentir os efeitos provocados, iremos analisar inclusive os reflexos de engarrafamento da pista Norte sobre a pista Sul”, disse ele.

Fonte/texto> A tribuna RJ