foto via www.negociosemtransporte.com.br
A famosa Linha 3 do metrô, que ligará Niterói até Alcântara, e o BRT na RJ-104 (Rodovia Amaral Peixoto) ligando Centro de Niterói até o trevo de Manilha, já passaram pelo projeto conceitual da Secretaria Estadual de Transporte (Setrans). No caso da Linha 3, o processo de avaliação econômica financeira para modelagem da futura concessão está em andamento. 

Está sendo elaborada pela Empresa Brasileira de Projetos (EBP), vai ser apresentada ao governador e a partir da aprovação do conceito, posterior a isso as prefeituras serão procuradas. No BRT, o projeto do está mais avançado e já foi entregue aos representantes municipais de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. A próxima etapa é definir posicionamento das estações e detalhes técnicos.

Para Breno Vidal, coordenador de Mobilidade da Região Leste Metropolitana a mobilidade urbana é o grande desafio das cidades em todo o mundo, o ponto focal da Setrans é justamente esse desenvolvimento da região. 

“A mobilidade integrada será um compromisso do Governo do Estado. Linha 3 do metrô e o BRT da RJ-104 melhorarão significativamente a mobilidade da região, reduzindo o tempo de viagem e trazendo mais conforto e comodidade para quase 2 milhões de habitantes. Além desses dois projetos teremos a expansão da Linha 2, no Rio de Janeiro, e investimento no transporte aquaviário”, explicou. 

O secretário, Carlos Roberto Osório, confirmou essa importância de melhorar o transporte público com projetos articulados e integrados. A Linha 3 do metrô será feita no traçado da antiga linha férrea que corta São Gonçalo e chegando ao Centro de Niterói, será enterrada, para não ter impacto visual na frente da Baía de Guanabara e no Caminho Niemeyer. 

“Estamos em processo de avaliação econômica financeira para modelagem da futura concessão. Está sendo elaborada pela Empresa Brasileira de Projetos (EBP), vai ser apresentada ao governador e a partir da aprovação do conceito, vamos procurar as prefeituras”, explicou Osório.

Já o projeto do BRT está mais avançado e já foi entregue aos representantes municipais de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. 

“Com essa autorização vamos definir a segunda parte como, por exemplo, posicionamento das estações e outros detalhes técnicos. Esses documentos serão enviados para Brasília”, reforçou Osório. 

O secretário ainda detalhou o financiamento da obra. 

“Um dos mecanismos que podemos utilizar é recurso de outorga da licitação das linhas intermunicipais para financiar essa obra”, completou. 

Ao todo serão 28 quilômetros de corredor viário, 33 estações e cinco terminais de integração.

Fonte/texto: Jornal A tribuna RJ