Incêndio no almoxarifado central da Prefeitura de Itaboraí. Prejuízo
calculado em R$ 30 milhões de reais | Foto: O Fluminense
O prefeito de Itaboraí, Helil Cardozo, esteve ontem com o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Junior, e conseguiu do governo estadual ajuda para repor alguns insumos e medicamentos perdidos no incêndio que destruiu o almoxarifado central da Prefeitura na noite da última quarta-feira. No encontro, Luiz Antônio sinalizou com a possibilidade de antecipar ao município repasses de recursos destinados à aquisição de medicamentos da Farmácia Básica, e também colocar em dia pendências de meses anteriores referentes a essa verba. 

"Perdemos praticamente todos os insumos e medicamentos estocados para nossa rede de atenção básica, e pedimos ajuda a todas as esferas do poder público para que Itaboraí não seja prejudicada", explicou Helil Cardozo. "O secretário nos recebeu muito bem, e estamos certos de que vamos contar com sua ajuda", acrescentou o prefeito, lembrando que o total do prejuízo é estimado em R$ 30 milhões, incluindo equipamentos.

O secretário Luiz Antônio garantiu que vai auxiliar Itaboraí no que for possível. "A Secretaria de Estado de Saúde tem de ser uma apoiadora dos municípios. Nossa função é ajudar", disse ele. 
Também participaram da reunião o secretário municipal de saúde de Itaboraí, Edilson Francisco dos Santos, e o superintendente de Abastecimento da secretaria estadual, Marcos Gomes. 

"O secretário Luiz Antônio nos deixou à vontade para tratarmos diretamente com o Marcos Gomes sobre a questão da reposição de insumos", observou Edilson Francisco. "Neste momento emergencial, estamos mais preocupados em repor insumos e medicamentos. Posteriormente, a Prefeitura vai tratar dos equipamentos que foram perdidos".

BR-101
Em encontro com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres, Cardozo pediu ontem a remoção de barreiras, implantadas pela Autopista Fluminense, em Manilha. A intenção da concessionária era reduzir os congestionamentos, mas a medida embolou o trânsito na região e tem prejudicado comerciantes. Uma comissão se reunirá na sexta para avaliar a viabilidade do pedido.

Fonte/texto: A tribuna RJ