No início de 2014 e também no ano passado, os agentes fizeram uma
marcha em frente a prefeitura pedindo melhores condições de trabalho
A Justiça determinou a suspensão da greve dos agentes comunitários da saúde de São Gonçalo, deflagrada esta semana. 

De acordo com o juiz da 8ª Vara Civil, Fabiano Reis dos Santos, a categoria exerce atividade essencial à saúde e, portanto, não pode deixar de prestar atendimento á população. 

Na decisão, o juiz afirma que a paralisação deve ser suspensa imediatamente sob pena de multa diária de R$5 mil em caso de descumprimento da decisão.

Na visão do agente comunitário de saúde, André Tamandaré, os novos casos de Zika e Chikungunya devem ser tratados como vítimas da greve, e que esta greve é insensata. Os agentes do Sindsprev-SG são totalmente contrários a esta greve, afirma André. "Não adianta colocar as forças armadas nas ruas pois elas não tem nenhum tipo de conhecimento no combate, e ainda estão aprendendo com os agentes que ainda estão trabalhando", diz. 

André ainda diz que a categoria não vem recebendo a atenção e melhorias que a categoria exigi, mas a categoria deve ter compromisso com a população, que paga os seus salários, ainda mais neste período de tantos casos de Zika e outras doenças registradas. 

Foto: Site dos agentes de saúde