Dudu do Catarina cobra soluções para as inundações em
localidades do Jardim Catarina
Após socorrer as vítimas das chuvas em janeiro de barco a remo e   preocupado com novas enchentes, o vereador Dudu do Catarina vai cobrar da Petrobras uma solução para as inundações principalmente, nas localidades mais afetas do Jardim Catarina, como Ipuca, Pica-Pau e Guaxa. Com a construção da estrada do Comperj, houve obstrução das galerias de águas pluviais que desaguavam na Baía de Guanabara. Houve um aumento nos alagamentos dessas regiões. Além isso, vai requerer ao Instituto Estadual do Meio Ambiente (Inea) obras o desassoreamento dos rios.

“A estrada do Comperj começa na Ilha de Itaoca, na praia da Beira, passa pelos bairros: Manoel da Ilhota, Fazenda dos Mineiros, Salgueiro, Palmeira, Jardim Catarina, Santa Luzia e Guaxindiba. Toda essa região sofre com enchentes, como a que aconteceu desde o início da obra. Então, com certeza, a estrada está acima do nível normal das casas e, por isso, vai provocar uma tragédia maior do que está acontecendo”, disse preocupado o vereador.

De acordo com Dudu do Catarina, a Petrobras não poderia construir uma estrada para resolver um problema do Comperj, mesmo sendo muito importante para o desenvolvimento do município, e acabar provocando mais um caos social.

“Estou sugerindo que a empresa faça e apresente um estudo e um parecer de trânsito, além de canais e drenos, para que no momento de enchente a água possa escoar sem prejudicar os moradores. A estrada passa por pontos críticos dos bairros. A intenção não é ser contra a estrada, mas criar alternativas sobre o impacto nas residências”, explicou o vereador, que no ensejo recorda os problemas que a cidade tem com a Rodovia BR-101.

“O trecho na Niterói-Manilha, por exemplo, cortou São Gonçalo de Neves até Guaxindiba, dividindo a cidade. Bairros como, Itaúna, Boassú, Porto da Pedra e Gradim, ficaram com dois lados: os moradores as margens da Baía de Guanabara ficaram sem saneamento, iluminação pública e água durante muito tempo. E o outro lado ficou com a enchente que ainda existe com qualquer chuvinha que alaga e deixa às ruas interditadas, a obra transformou a região num grande piscinão”, lamenta Dudu do Catarina.

Segundo o parlamentar essas enchentes poderiam ter sido evitadas, se a secretária de obras de São Gonçalo tivesse atendidos os requerimentos em 2013, 2014, 2015 e vai protocolar novamente esse ano. Lembrou que seu papel do vereador é exigir da Prefeitura e atender aos pedidos, o que não aconteceu até hoje 

“O Poder Executivo não pode falar que não tem conhecimentos dos problemas vividos pela população, pois tenho as cópias de tudo que protocolamos. Todas as dificuldades que o Jardim Catarina enfrenta, o pior de todos chegou com a construção da estrada do Comperj. A meu ver, fizeram uma grande barreira para as águas das chuvas que colocam em risco a vida das pessoas e seus patrimônios. Fizemos reuniões e até manifestação impedindo a passagem dos caminhões para Ipuca. Chamamos a atenção das autoridades competentes e nada foi feito. Fizemos vários alertas em anos anteriores e a conclusão das obras da estrada, denunciei na época que com as intervenções não precisaria cair uma chuva igual a de 2010 para acontecer o alagamento e em janeiro, aconteceu infelizmente o que eu imaginava”, comentou o parlamentar.

Estrada do Comperj: a via foi criada pela Petrobrás, construída para transportar cargas especiais e veículos de grandes dimensões para o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, em Itaboraí, está aumentando os alagamentos às margens da via. Lembrando que a obra custou aos cofres públicos US$181 milhões. Após o escândalo da Petrobrás a via foi abandonada e se tornou a principal transtorno aos moradores com as fortes chuvas. A área é extensa e tem cerca de 300 mil habitantes sem serviços básicos de saúde, educação e saneamento. A via levou oito anos para ficar pronta.

Fonte/texto/foto: Ascom Dudu do Catarina