Para Matheus Guimarães, as candidaturas de José Luiz e
Diego São Paio ameaçam a reeleição do atual prefeito
Neilton Mulim. Fotos: A política RJ e Alerj
Por Matheus Guimarães
Assessoria Nativa

Seis dos oito pré-candidatos à Prefeitura de São Gonçalo foram testados nas urnas nas eleições de 2014, podendo servir como base para as previsões na disputa de outubro deste ano. Dilson Drummond, Dejorge Patrício, Marlos Costa e Brizola Neto pleitearam o cargo de deputado federal, já José Luiz Nanci e Josemar Carvalho, almejaram uma cadeira na ALERJ. Neilton Mulim, atual prefeito e Diego São Paio não foram às urnas, mas os resultados podem nos ajudar a criar um panorama geral.

Fazendo uma consulta rápida ao TRE/RJ é possível verificar a quantidade de votos que cada um dos nomes teve no último processo eleitoral, no município de São Gonçalo. Vamos aos dados:

Dilson Drummond, pré-candidato do PSDB, obteve 28.636 na disputa a uma vaga na Câmara dos Deputados, tendo sido o segundo mais votado do município [atrás apenas do ilustre desconhecido Roberto Salles, eleito pelo PRB].

Dejorge Patrício obteve 26.281 votos, um número bastante expressivo tendo em vista que toda a estrutura do seu ex-partido [PR] estava voltada para a campanha de Clarissa Garotinho. Concretizada sua ida para o PRB [partido de Marcelo Crivella], o pré-candidato poderá ter um bom resultado nas urnas, mas sua evolução dependerá de sua desenvoltura no andamento dos debates.

Marlos Costa, pré-candidato pela chapa PSB/PSD não teve um bom teste nas urnas e deverá suar a camisa se quiser ter um bom resultado em outubro. Com 13.954 votos, Marlos ficou longe da suplência pelo seu antigo partido [PT], e agora, com a queda da influência e popularidade do baixinho Romário, sua pré-candidatura vai sofrendo sérias dificuldades para engrenar.

No bloco PDT a história está bem complicada. Aparecida Panisset está inelegível [condenada pelo TRE/RJ por improbidade administrativa, após sua gestão na prefeitura], mas ainda briga na justiça pelo direito de disputar as eleições. O forasteiro Brizola Neto teve um péssimo resultado nas urnas, com apenas 777 votos em São Gonçalo. Jorge Mariola, outro possível pré-candidato, teve 11.130 votos, mostrando que pode ser uma alternativa. 

José Luiz Nanci, pré-candidato pelo PPS, teve um bom resultado em 2014, com 30.067 votos, sendo um dos deputados estaduais mais votados no município. A pré-candidatura de Nanci ainda não emplacou devido a questionamentos sobre sua saúde e disposição para a disputa. É possível que abra mão da candidatura, caso o PMDB tenha outro candidato em São Gonçalo.

Josemar Carvalho, pré-candidato do PSOL, que esperava um resultado melhor nas urnas, teve apenas 7.662 votos no município, mostrando as dificuldades de emplacar uma candidatura com poucos recursos.

Matheus Guimarães faz
parte do grupo
ASSESSORIA NATIVA
Diego São Paio e Neilton Mulim não disputaram o último pleito, mas alguns dados podem nos ajudar a fechar esse cenário. Diego é pré-candidato pela REDE, com apoio de Marina Silva, ex-candidata à presidência. Em São Gonçalo, Marina teve 135.767, mostrando que Diego tem um vasto caminho para conquistar os eleitores da ex-senadora, agora com um partido novo. Caso tenha êxito em sua empreitada, Diego é nome certo na disputa do segundo turno, onde o cenário se modifica e novas alianças serão necessárias. Já Mulim fez forte campanha para seu irmão Nivaldo, obtendo 65.024 votos na cidade, mostrando que, mesmo com os altos índices de rejeição, segue forte na disputa municipal.

Diante de tais dados, podemos resumir que Diego e Nanci saem  na frente na disputa com Mulim ao cargo máximo do executivo municipal, deixando a briga ainda mais em aberto, com possibilidades de novas negociações e articulações até o prazo final em junho.