Quantidade de água no bairro Anaia foi desigual aos
demais bairros da cidade.
Foto: Jeferson Nascimento
Nosso blog recebeu diversas denúncias sobre um rompimento de uma barragem no aterro sanitário (CTR - Centro de Tratamento de Resíduos) do bairro Anaia Pequeno, em São Gonçalo, no dia das fortes chuvas que caíram sobre a cidade. O Centro é administrado pela empresa Hazztec Foxx, localizado no bairro Anaia.

Não há um morador no bairro que desconheça essa denúncia. Moradores mais velhos no bairro, com 30 anos de vivência, dizem que isso NUNCA aconteceu aqui, e que a chuva de 2010 foi muito inferior a quantidade de água dessas chuvas. 

Muitos desconfiam que uma barragem do CTR rompeu, e por isso aumento muito a quantidade de água, fazendo com que diversas casas ficassem alagadas.

De acordo com pessoas que trabalham no local e moram no bairro, ouve sim um rompimento na barragem, e inclusive o carro de um dos gerentes do Centro foi atingido. Segundo este que fez o relato, no dia seguinte, com medo de possíveis divulgações do caso, o gerente rapidamente fez obras para restaurar a barragem. 

Um dos fatores que pode ter levado a barragem a se romper foi que nos dias anteriores ao dia 23 de março, já havia chovendo muito na cidade, e por isso, somando com as fortes chuvas do dia 23, a barragem pode não ter aguentado a pressão da água e se rompeu.

Veja um relato de um  morador do bairro sobre o local:

Em destaque, uma situação de água no Centro de Tratamento de Resíduos
(CTR) de São Gonçalo, no Anaia. Vale ressaltar que ainda no mapa,
é possível ver outras em construção, pois a foto não é atualizada.
Foto: Google Imagens
"Fui até o final do campo e o meu irmão subiu até o topo e disse que há uma rua que estava intacta. Sem nenhuma rachadura. Inclusive com um grande fluxo de caminhões. 
Vi também três manilhas, relativamente pequenas, para a responsabilidade que elas possuem. Vi também, um grande espaço até um muro construído de pedra bruta, que acredito que foi construída pela empresa. 

Conversamos com um jovem e o mesmo relatou que sempre há fluxo de água muito forte passando pelas manilhas. Mesmo não tendo chuva nenhuma, ou até mesmo, durante longas estiagens. Então, meu irmão teve ideia de ver os mapas pela Internet e constatou duas situações com água. Parecia lagos ou depósitos de água que utilizam durante a rotina de trabalho deles. Segundo o rapaz, não é possível acesso de moradores neste local, pois é fortemente vigiado por profissionais armados. 

Meu irmão constatou no mapa que não é somente o Aterro Sanitário, mas também tem na Pedreira, uma usina e outra empresa. Todas coligadas tendo a mesma entrada por uma "porteira". Percebe-se que houve participação da prefeitura e do Estado na autorização desta empresa. Acredito que é impossível termos acesso às informações que precisamos. Uma coisa eu tenho certeza: precisamos fazer alguma coisa!"

Vale ressaltar que nenhuma autoridade compareceu ao bairro. Vale lembrar que isso é algo que deve ser investigado pelos vereadores ou autoridades competentes. Dependendo da investigação e seus resultados, uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) pode ser instalada na câmara de vereadores da cidade para punir a empresa.  

Nosso blog buscou saber da empresa Hazztec, que administra o aterro, o que ocorreu, de fato, no local, no dia da chuva forte, no dia 23 de março. Por e-mail, a empresa deu uma nota. Segundo ela, não há barragem nenhum no local. 

"A informação não procede. Não há nenhuma barragem na Central de Tratamento de Resíduos. Vale ressaltar que neste período, a Foxx Haztec, empresa responsável pela gestão da CTR São Gonçalo, prestou apoio aos moradores do entorno, com o objetivo de minimizar os prejuízos causados por esta catástrofe natural."

#EmAtualização