Jorge Mariola
Foto: O São Gonçalo
Inconformado com a decisão do PDT de São Gonçalo em apostar na pré-candidatura da ex-prefeita Aparecida Panisset à prefeitura, o vereador Jorge Mariola deixou o partido e filiou-se ao Partido Humanista Social (PHS) e vai disputar o Executivo gonçalense. Além disso, saiu atirando contra a direção regional e nacional da legenda, acusando-a de se afastar do ideário trabalhista e defesa das minorias, mulheres e negros.

“Meu coração ainda é do PDT. Foram muitas as razões que me fizeram sair do PDT, após quatro mandatos de vereador e depois de 16 anos de militância. Os ideais do ex-governador Leonel Brizola, em defesa do trabalhismo, das minorias e do povo, foram deixados de lado. Ficou a reboque das ambições do presidente nacional e regional, o Carlos Lupi. Virou o partido da boquinha”, criticou Mariola.

O parlamentar ainda acusa o dirigente do PDT de desrespeitar a própria resolução do diretório nacional da legenda de lançar candidatos a prefeito em todas as capitais do país, em troca de cargos no governo. “Na cidade do Rio resolveram apoiar o pré-candidato a prefeito Pedro Paulo de Carvalho, lançado pelo prefeito Eduardo Paes. Em troca de alguns cargos. Em Niterói, Felipe Peixoto era o pré-candidato e aí resolveram conversar com o atual prefeito da cidade sobre possível aliança. Felipe se sentiu traído e saiu. Em São Gonçalo, no início do ano anunciaram que o ex-deputado federal Brizola Neto seria o pré-candidato a prefeitura. Recentemente, em uma propaganda da legenda na TV, ele e a ex-prefeita Aparecida Panisset falaram pela sigla e me deixaram de lado. Não me ouviram”, reclamou o ex-pedetista, citando outros ex-filiados que também saíram, como o ex-senador Caó, o ex-deputado estadual Vivaldo Barbosa e o ex-deputado federal José Maurício Linhares, pelos mesmos motivos.

Mariola disse que no PHS terá autonomia para atuar. “Lá eles também abraçam os ideais de Brizola, de Darcy Ribeiro e os ex-presidentes Getúlio Vargas e João Goulart. Para lá também foram o prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos, e o deputado federal Marcelo Matos, ex-pedetistas. “Se for da vontade da população, eu serei candidato. Senão, vamos apoiar outro nome. Estou aberto a conversas”, declarou.

O tesoureiro da comissão provisória do PDT gonçalense e membro da executiva, William dos Santos, lamentou a desfiliação do vereador. “É uma grande perda para a gente. Um grande quadro do partido. A divergência dele com o Lupi é de questão pessoal. O nosso presidente se empenha em levar adiante o legado de Brizola. Sobre quem será pré-candidato a prefeito, esperamos Panisset resolver a pendência com a Justiça para poder disputar a prefeitura. Senão, lançaremos Brizola Neto”, informou.

Fonte/texto: A tribuna RJ