Helil Cardozo
Foto: O São Gonçalo
Acusado de praticar abuso econômico e fraude eleitoral durante a campanha para a prefeitura de Itaboraí, em 2012, o prefeito e pré-candidato a reeleição Helil Cardozo (PMDB) está respondendo a um processo judicial, que corre no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e pode ficar inelegível por oito anos. Além da inelegibilidade, o administrador pode ter seu mandato cassado caso a decisão da Ministra Maria Thereza de Assis Moura seja tomada até o mês de dezembro.

No processo, o prefeito e seu vice, Audir Santana (PSL), são acusados de abuso econômico durante a campanha e a contratação de serviços de telemarketing que atuaram, de forma ilegal, no dia das eleições de 2012. Supostamente, milhares de eleitores receberam ligações com a falsa informação de que a candidatura de Sérgio Soares (PSDB) teria sido impugnada e o voto na sua candidatura não seria computado. Autor da ação cautelar que pede a cassação do prefeito, o Deputado Federal Altineu Cortes (PMDB), acredita que a decisão da ministra do TSE seguirá as recomendações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e do Ministério Público Eleitoral (MPE), que deram parecer favorável às provas obtidas no processo. "O prefeito já foi derrotado em duas instâncias iniciais, agora o processo corre no TSE e acredito que a decisão será a mesma. Ele cometeu fraudes eleitorais como o abuso econômico e até contratação de serviços de telemarketing ilegais. Em caso de cassação, ele perde o mandato e fica fora de disputas eleitorais por oito anos", disse.

Com relação a decisão e o tempo até a conclusão do processo, Altineu está otimista. Ele acredita que o rigor da ministra responsável e a agilidade com que ela trata seus processos podem acelerar o resultado final. "Com informações que temos sobre a Ministra do TSE, sabemos que ela toma suas decisões com bastante rigor. Além disso, acreditamos que a decisão final seja protocolada rapidamente, mesmo sem haver qualquer tipo de prazo para isso", disse. Caso o mandato do atual prefeito seja cassado, antes nas novas eleições de outubro, o deputado Altineu Cortes, que ficou em 2º lugar no pleito de 2012, assumirá o cargo no Executivo. De acordo a com a assessoria de imprensa do TSE, o processo já está no gabinete da ministra e não existe prazo para que a decisão seja tomada.

Fonte/texto: O São Gonçalo