Diego São Paio
Crédito: Mayra Carvalho 
O vereador Diego São Paio (REDE) vai solicitar aos colegas da Câmara Municipal de São Gonçalo que votem pela instauração de uma CPI da Merenda Escolar, a fim de investigar os contratos firmados pela Prefeitura para aquisição de alimentos.

De acordo com o vereador, não faltam indícios de que a falta de alimentos, as falhas nas entregas nas escolas e a má qualidade dos produtos adquiridos são resultado da gestão do prefeito Neilton Mulim.

“São diversas as denúncias de diretores, responsáveis e alunos. Nossas crianças estão voltando pra casa mais cedo e perdendo aula porque não tem merenda na escola. Mas o prefeito parece ser o único a não enxergar isso, já que prorrogou o contrato com a empresa Home Bread até o dia 31 de dezembro, por quase R$18 milhões”, afirmou Diego, em alusão ao 4º Termo Aditivo publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (06).

Para Diego, o prefeito precisa explicar à população por que os produtos comprados custam mais que o dobro do valor nas prateleiras dos supermercados, conforme matéria publicada pelo Jornal O POVO na última quarta-feira, a respeito do superfaturamento na aquisição de alimentos. Neste mesmo dia, o vereador da Rede Sustentabilidade levou o problema ao plenário. Com um encarte de mercado em mãos, o administrador comparou os preços: a dúzia era vendida por apenas R$3,50 no estabelecimento local, enquanto a adquirida pela Prefeitura custava R$10.

“Tenho certeza que diante da crise que vivemos, o homem ou a mulher chefe de família tem tentando diminuir os gastos, fazendo pesquisa de preço, comprando um produto aqui, a carne ali, os legumes na feira, para pechinchar. Mas o prefeito acha que pode pagar mais que o dobro do preço em uma dúzia de ovos. Está sobrando dinheiro em São Gonçalo pra esbanjar?”, criticou Diego, afirmando em seguida que irá solicitar juridicamente o cancelamento imediato do contrato.

Desde 2015, com o escândalo das escolas que serviam apenas arroz e feijão aos estudantes, Diego São Paio busca aprovar a CPI. No entanto a liderança da oposição ao governo na Câmara dependia de nove votos para que a comissão entrasse em vigor, ou seja, um terço do total de vereadores.

Recordando - A Home Bread Indústria e Comércio Ltda é a mesma empresa investigada pelo Ministério Público no ano passado por superfaturamento nos preços. Somente nos primeiros dois anos de contrato, a fornecedora recebeu R$44 milhões para atender 104 escolas e 40 creches, cerca de 1,8 milhão por mês. Na época, o Tribunal de Contas questionou o valor do contrato, afirmando que pelo menos R$ 15 milhões do valor total poderiam ter sido economizados.