Foto: Jana Bilate/Divulgação Facebook
Visando a construção de um programa alternativo para as eleições municipais deste ano, o PSOL e PCB aprovaram uma dinâmica de debates temáticos.

Nesta segunda, dia 20 de junho, foi realizado o primeiro, com o tema saúde, com presença superior a 50 participantes. O de Meio Ambiente, também já está marcado para o próximo sábado dia 25.

O evento de saúde contou com a presença de expositores de qualidade, que trataram o debate com muita qualidade. Todos colocaram a necessidade de uma saúde preventiva onde a vida seja prioridade.

O primeiro a abordar o tema, Geandro Pinheiro, professor da FIOCRUZ, militante do Fórum Estadual de Saude  argumentou sobre a importância do Sistema de Único de Saúde (SUS), a necessidade de programa de gestão revolucionária da saúde negar a lógica da privatização do setor.

Na sequência, foi a vez de André Dantas, pesquisador da FIOCRUZ, militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB) centralizou sua oratória na necessidade da saúde estar a serviço das comunidades e inverter a lógica dos grandes complexos hospitalares que se utilizam dos recursos públicos.

Já o médico da família Dr. Moises Nunes, do setorial de saúde do PSOL-RJ, centralizou o seu discurso na necessidade de um atendimento humanizado e na democratização do setor. A assistente social e professora da UNIRIO Janaína Bilate abordou aspectos da cidade, e a politicas públicas de saúde do município. A secretária de mulheres do PSOL São Gonçalo também abordou questões relativas a saúde das mulheres.

O Prof. Josemar, pré-candidato a Prefeitura de São Gonçalo, elogiou os participantes, assim como os demais, colocou a saúde como uma questão de vida e apontou a saúde municipal como grande espaço onde ocorre a sangria dos recursos para clinicas privadas e políticos locais através dos centros sociais. Na defesa da democratização da gestão assim afirmou: “Hoje a rede básica de saúde precisa ser ampliada e democratizada, precisamos de eleição do secretario de saúde e dos diretores de postos, a saúde não pode ser moeda de troca entre Executivo e os Vereadores”.  Concluiu defendendo a necessidade de valorizar os servidores com salários dignos e condições de trabalho adequadas. A necessidade de transformar os Agentes Comunitários de Saúde em estatutários do Regime Jurídico Único foi visto como fundamental para dar qualidade e segurança a este trabalhadores que atuam diretamente na prevenção.

Após as explanações iniciais tiveram perguntas e colocações do plenário. A mesa foi mediada pela Drª Rosilene Alonso, pré-candidata a Vice-Prefeita do PSOL a Prefeitura de São Gonçalo, a mesma encerrou o evento, colocando a necessidade de ampliação da rede básica de saúde e convidando a todos para o debate de meio ambiente.

Os debates temáticos organizados pelos diretórios municipais de São Gonçalo do PSOL e do PCB, ocorreram na Rua Jaime Figueiredo, 747 (sobrado) – Patronato. O espaço fica na rua caminhada em frente a UERJ – FFP, nas proximidades do cruzamento com Rua Maria Rita.

Fonte/texto: PSOL São Gonçalo