Foto: Divulgação
DO JORNAL O POVO
O esporte como ferramenta de transformação para crianças e jovens. Foi esse o ideal apresentado pelo vereador Diego São Paio na última edição do “Diego na Rede”, transmissão semanal ao vivo na qual o parlamentar responde a perguntas de internautas. Com mais de um milhão de habitantes e um orçamento de R$ 7,3 milhões para a pasta, a Prefeitura de São Gonçalo ignora a força do esporte e deixa de investir no setor. Nem mesmo as Olimpíadas foram suficientes para abrir os olhos da Prefeitura.

Durante a transmissão, Diego citou diversos projetos de lei que apresentou na Câmara durante o mandato,entre eles a instituição do esporte paraolímpico nas escolas municipais, campanha de divulgação da lei de incentivo ao esporte, criação da Olimpíada da Terceira Idade, isenção fiscal parcial para instituições de ensino regular que forneçam bolsas para atletas, todos vetados pelo prefeito Neilton Mulim.

O vereador destacou o programa VAIE (Valorização de Iniciativas Esportivas) previsto no PL 096/2016. A proposta defende incentivos às atividades esportivas junto a jovens de baixa renda e em regiões desprovidas de recursos e equipamentos esportivos, com o objetivo de contribuir com a formação de novos atletas. Diego explicou a distribuição do orçamento da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer e enfatizou a necessidade de viabilizar um fundo específico para apoiar atletas locais.

“Dos mais de R$ 7 milhões destinados ao esporte, R$4.382,400 são para pagamento de pessoal. Apenas R$ 142 mil são usados para projetos. São Gonçalo tem muitos talentos que precisam mudar de cidades e até estado para se destacarem no esporte, oque é uma pena. Ser atleta significa um alto custo com passagem, alimentação, acompanhamento médico. Temos que investir no atleta desde a base. Precisamos de equipamentos esportivos espalhados pela cidade. O esporte é uma importante ferramenta de mudança e integração. Quando a Prefeitura não investe, ainda perde investimentos do Governo Federal por má gestão”, detalhou Diego.

O parlamentar se refere aos Centros Esportivos Unificados (CEUs), projeto do Governo Federal que repassou mais de R$ 10 milhões para São Gonçalo – único município brasileiro que receberia dois centros, um no Colubandê e outro em Neves. No entanto, por falta de gestão, o projeto não saiu do papel e a Prefeitura teve que devolver parte do valor à União.

“Os CEUs são áreas de 7 mil metros quadrados, com quadra poliesportiva oficial e espaço para caminhada, vôlei de praia, skate e mui-tas outras atividades. São Gonçalo precisa de grandes centros de treinamento, co-mo em Saquarema, onde a seleção brasileira de vôlei treina, e em Maricá, onde há um local para treinar tiro, e inclusive, já tem um atleta se destacando”, afirmou.

Espaço é o que não falta na cidade para que a população possa praticar esportes. A Fazenda Colubandê – municipalizada há poucos meses e outra luta antiga de Diego – possui um complexo esportivo mal conserva-do, incluindo até uma arena de hand beach, modalidade recente que já formou uma equipe campeã na cidade. A Praça do Colubandê também poderia abrigar o projeto de skatepark, apresentado pelo vereador ainda em 2013. O próximo “Diego na Rede” acontece nesta hoje, às 22h, e vai falar sobre cultura. Para participar, basta acessar a página de Diego São Paio no facebook.