Foto: Rosangela Coelho, presidente do Sindicato de Servidores
coordenando a greve em frente à PMSG. Foto: Ascom Sindspef
Hoje os servidores da Guarda Municipal de São Gonçalo realizaram uma atividade linda e apaixonada pela causa mais do que justa por respeito, dignidade e melhores condições de trabalho. A massa de trabalhadores começou as atividades no largo do Hospital Luiz Palmier e depois saiu em caminhada firme para frente da prefeitura cantando e gritando por justiça. Muitos usavam nariz de palhaço.

Com forte organização, os guardas ocuparam 2/3 da Rua Feliciano Sodré orientando o fluxo de trânsito que seguia lento, mas sem tensões com os motoristas e transeuntes que em sua maioria se mostraram a favor dos trabalhadores. É sinal que o recado foi dado e entendido pela população. Numa atitude bonita e solidária, um gonçalense anônimo doou mexericas (tangerinas) e água para os participantes da atividade.

Depois de 40 minutos de caminhada, os guardas se concentraram com carro de som em frente à prefeitura. Alguns moradores pediram a fala e esculhambaram o prefeito, que se encontrava no seu gabinete mas não deu as caras. Mas uma vez os guardas ocuparam a prefeitura com apitaços e cânticos do movimento.

Depois coube a um assessor procurar a comissão para informar ter as reivindicações encaminhadas. Mas agora é tudo por escrito e assinado. Ainda hoje os supostos encaminhamentos seriam redigidos e entregues em forma de ofício ao Sindspef.

Amanhã tem outra atividade às 9 horas. O Sindicato e a Guarda convidam a população  para comparecer e engrossar o caldo de insatisfação junto com os servidores!

Recordando - Não é de hoje que a Guarda Municipal reivindica melhorias e condições dignas de trabalho. No dia 30/06 os Guardas realizaram paralisação de 24 horas. No dia 05/07, após assembléia, decidiram, junto ao sindicato de servidores, que organiza todo o movimento, entrar em greve. Já no dia 12/07, após nova assembleia, suspenderam a greve e entraram em Estado de Greve, neste caso, os Guardas poderiam voltar à greve a qualquer momento. A comissão organizadora enviou as suas reivindicações ao prefeito, que prometeu atende-las, o que não foi cumprido. E ontem, após nova assembleia, as propostas do prefeito, que não agradaram a Guarda, receberam diversas ressalvas e os guardas voltaram à greve. E hoje tivemos a manifestação pelo Centro. Após serem notificados que a Prefeitura enviaria as novas propostas à Guarda, os servidores só voltam às atividades após cumprimento das solicitações atendidas serem publicadas no Diário Oficial.