Foto: Prefeitura de São Gonçalo
Após esperar em vão que a ex-prefeita Aparecida Panisset resolvesse suas pendências na Justiça Eleitoral e revertesse a sua inelegibilidade – proibida de disputar desde 2012 -, o PDT de São Gonçalo decidiu lançar o ex-deputado federal e ex-ministro do Trabalho Brizola Neto como pré-candidato a prefeito. Será a primeira vez que o pedetista, nascido e criado no Rio de Janeiro, irá disputar eleição no município, para onde transferiu o título eleitoral em setembro do ano passado.

Com a dificuldade de Panisset em resolver a sua situação, o nome de Brizola Neto já era cotado na legenda para entrar na disputa no lugar da ex-prefeita. Inclusive, foi chamado pelo próprio presidente nacional e regional da legenda, Carlos Lupi, para se mudar a São Gonçalo, sendo uma espécie de plano B dos pedetistas. Na época, o vereador Jorge Mariola também pleiteava o direito a ser candidato, porém, o nome dele foi vetado por Panisset. Com isso, o parlamentar deixou a legenda em março deste ano, se filiando ao PHS.

Após resolver o impasse, o PDT gonçalense marcou a convenção para o próximo dia 30. O local e o horário ainda serão definidos. “Na semana passada, um recurso de Panisset voltou de Brasília para o Fórum de São Gonçalo. Ela perdeu em todas as instâncias. Ela seria a nossa candidata, mas diante tal situação, resolvemos lançar o Brizola Neto. A ex-prefeita ainda decidirá se o apoia ou não. O Brizola já mora na cidade desde o ano passado. Obtivemos o apoio do PT e do PC do B e estamos conversando com mais três partidos”, informou William dos Santos, integrante da executiva municipal do PDT.

O ex-deputado federal espera ter o apoio da correligionária. “Contamos com a força e liderança dela”, afirmou Brizola Neto. Em sua página no Facebook, ele posta notícias e vídeos denunciando os problemas da cidade e criticando a atual administração. Em 2013, após ter as contas de 2012 rejeitadas pela Câmara de Vereadores, Panisset ficou inelegível por oito anos.

Reunião
O PT de São Gonçalo promoveu reunião de tática eleitoral em sua sede, no último domingo, em que 142 delegados indicados por chapas decidiram que o partido pode fazer aliança com o PDT e o PC do B para o pleito de outubro. Com a decisão do diretório, a legenda pode participar da disputa com candidato a vice na chapa de Brizola Neto. No próximo dia 30, o PT promove convenção que deverá apontar o nome a representá-lo na chapa. Ou será o o presidente da sigla, Lázaro Santana, ou o sindicalista Manoel Vaz. O evento também definirá os candidatos a vereador.

Fonte/texto: A tribuna