Vão disputar...
O ano eleitoral de 2016 em São Gonçalo já está agitado. No inicio do ano, a discussão era em torno dos nomes que poderiam se candidatar à prefeitura. Agora, em agosto, mês final para que os interessados registrem candidaturas, restaram apenas sete da lista de 12 nomes no inicio do ano. São eles: Neilton Mulim, Marlos Costa, Diego São Paio, Dejorge Patrício, Dilson Drumond, Prof. Josemar e Brizola Neto.

Não vão mais disputar....
No inicio do ano, a lista era grande, o maior número de pré-candidatos a prefeito da história de São Gonçalo. Tiveram nomes que colocaram o nome à disposição mas não foram aceitos, outros tinham interesse em se candidatar, mas desistiram, e por fim, aqueles que não levaram a ideia para frente.

O vereador Cici Maldonado, que ainda no PSL (hoje PR), tinha interesse em se candidatar ao cargo, mas chegou ao veredito final, junto ao partido, de que o melhor é disputar cargo à Câmara de Vereadores. 

A missionária e cantora gospel Flordelis também foi outra que o nome gerou grande alvoroço, mas a ideia de lançar candidatura própria no município não foi levada à diante. 

O diretor de informatica da Assembleia Legislativa do Estado, Adolfo Konder, no DEM, também cogitou a ideia de lançar candidatura própria. Do Rio e ex-candidato a prefeito nas últimas eleições, Konder ficou em 2º lugar no segundo turno e ainda mantém grande influência sobre o eleitorado Gonçalense e pode decretar, esta semana, apoio a um dos pré-candidatos a prefeito. 

A ex-prefeita Aparecida Panisset, que tinha e ainda tem enorme vontade de concorrer ao pleito e voltar ao poder, mas devido a diversos processos está impedida.

O vereador Jorge Mariola também mudou de partido, após longos anos de militância no PDT, para tentar a prefeitura municipal pelo PHS, mas na última semana desistiu. Segundo Mariola, o partido lançou candidatura tarde demais.

O ex-secretário de saúde municipal, Dr. Dimas Gadelha, também foi cogitado e causou um grande alvoroço por ser o nome que poderia integrar a chapa à reeleição do atual prefeito Neilton Mulim. Também foi levantada a hipótese que Gadelha iria lançar candidatura própria, mas nenhum das hipóteses estava correta.

Dayse Oliveira e Graça Mattos também eram cogitadas no inicio do ano. Dayse não se manifestou sobre lançamento de candidatura, nem o partido, PSTU. Já Graça optou pornão entrar mais uma vez na disputa, e sim manter influência e seguir as orientações do partido, apoiando outro candidato, no caso, Dr. José Luiz Nanci, do PPS.

Corrigenda do título: Veja quais foram os postulantes que desistiram ou não vão disputar a prefeitura de São Gonçalo