Batalhão de São Gonçalo não tem efetivo suficiente para
atender toda a população.
Foto: 7º Batalhão | Extra
Com mais de um milhão de habitantes, cidade tem efetivo de apenas 571 PMs e 351 guardas municipais.

Aumento de furtos e assaltos e, consequentemente, medo de andar nas ruas. Essa tem sido a realidade dos moradores de São Gonçalo que veem a violência crescer a cada dia e pouco ser feito. Para mostrar à população gonçalense que é possível mudar esse quadro, o vereador Diego São Paio (REDE) apresentou as medidas que podem ser implementadas na cidade para melhorar a segurança pública no “Diego na Rede”, transmissão ao vivo realizada semanalmente pelo facebook.

“Em primeiro lugar, é preciso deixar claro que a segurança pública no nosso país passa pela adoção de um projeto educacional sério. São Gonçalo tem mais de um milhão de habitantes e um efetivo de apenas 571 policiais militares, um número inexpressivo para a nossa dimensão territorial. Para se ter uma ideia, a UPP do Alemão, comunidade com 15 mil moradores, tem 320. Poderíamos aderir ao PROEIS (Programa Estadual de Integração na Segurança), no qual policiais militares optam por trabalhar nas folgas. Inclusive, fiz uma indicação legislativa para que o serviço seja implementado na cidade. Ela seguiu para as mãos do prefeito, que pode sancionar ou vetar”, destacou Diego.

O vereador apresentou dados do Instituto de Segurança Pública (ISP-RJ) e respondeu a perguntas dos internautas. Uma comparação entre o primeiro trimestre de 2015 e o de 2016 mostra que houve um aumento de 295 casos de roubos a carro, 769 de roubos a transeuntes e de 76 casos de furtos de celular na cidade.   Entre as principais dúvidas, uma chamou mais a atenção: Afinal, como a Prefeitura pode atuar na segurança pública?

“Precisamos valorizar e fortalecer a Guarda Municipal. Temos apenas 351 guardas municipais, que hoje estão sem qualquer estrutura para trabalhar e reivindicam há anos um plano de cargos e salários, e uma gratificação adicional. A Guarda não tem sede própria, paga o aluguel de uma casa no Galo Branco. A Fazenda Colubandê, municipalizada recentemente, já foi sede do Batalhão Florestal e poderia muito bem abrigar a Guarda”, explicou o parlamentar, reiterando a importância da iluminação pública. Segundo Diego, atualmente o serviço, que é terceirizado, custa R$ 15 milhões por ano – o triplo do início do mandato de Neilton Mulim – e não funciona adequadamente.

Para o pré-candidato a prefeito, segurança pública vai muito além do aumento do efetivo. Diego acredita que a educação e o esporte são ferramentas essenciais para mudar a realidade e diminuir os índices de violência.

“Apresentei projetos de lei de incentivo ao esporte e à aproximação da escola e da família. Essa integração estimula o desenvolvimento dos alunos. A Guarda Municipal tinha o programa ‘Ronda Escolar’, que percorria escolas públicas e particulares, garantindo a segurança dos alunos e evitando o uso de entorpecentes. Infelizmente, não temos mais o Ronda Escolar”, acrescentou.

O tema do próximo “Diego na Rede” será esporte, com a presença do Glauco Cruz, do Fut7 de São Gonçalo. A transmissão ao vivo acontece hoje às 22h pela página do vereador no facebook.