Presidente do PT do B Itaboraí, Alessandro Fricks
O blog A política RJ realizou uma entrevista com o presidente do Partido Trabalhista do Brasil (PT do B) de Itaboraí, Alessandro Fricks, de 34 anos, que também é pré-candidato a vereador no município. Morador de Venda das Pedras, além de defender as bandeiras da Saúde e Educação, Fricks afirma que outros temas devem sempre ser prioridade em qualquer proposta. "Temos a Agricultura que foi deixada de lado e sempre foi importante em nossa cidade e também a Sustentabilidade que é essencial para o nosso futuro", finaliza.

Alessandro Fricks afirma que o partido optou por ter uma nominata de pré-candidatos a vereador que nuca disputaram nenhuma eleição, e acredita que o partido tem potência para eleger dois vereadores na cidade. Ele também afirma que o partido fará coligações, mas estudam os caminhos.

"Como presidente do PTdoB municipal tenho a confiança do Vinicius Cordeiro que é o presidente estadual para estar montando o partido para a próxima eleição. Optamos por ter em nossa nominata apenas candidatos que não disputaram nenhuma eleição mas com muito potencial para representar a verdadeira renovação que Itaboraí tanto precisa. Acredito que poderemos eleger dois candidatos em uma coligação. Estamos estudando alguns caminhos mas que devem ter como princípio nossos objetivos em comum por nossa cidade", disse.

Confira a entrevista do pré-candidato a vereador de Itaboraí Alessandro Fricks.
Conte um pouco para nós quem é você:

Sou casado, pai de uma menina, filho de comerciantes, Bacharel em Direito e Jornalista. Moro a vinte anos no mesmo bairro e sempre trabalhei no comércio da família. Sempre gostei de política e não pensava em um dia ser candidato até que com minha atuação nas redes sociais foi surgindo uma inquietação e vontade de tentar fazer mais do que era possível. Tivemos algumas conquistas e assim surgiu a possibilidade da candidatura para representar a todos aqueles que assim como eu, quer lutar por uma cidade melhor.
   
Aproveite e conte um pouco da sua trajetória. Como e por que entrou política?

Desde os tempos da escola as questões políticas sempre me chamavam a atenção, essa inquietação com o passar do tempo foi       tomando uma proporção nas minhas atitudes do dia-a-dia e percebi que seria impossível ficar inerte a tudo que acontece a minha volta. Como sempre trabalhei em comércio tive a oportunidade de ter contato com pessoas e assim também conhecer as necessidades dos bairros onde moravam. Mas tudo deu início com a minha página nas redes sociais que comecei a questionar e dar visibilidade as carências do nosso município e assim surgiu a minha entrada na política.

Qual sua expectativa para as eleições deste ano?

Creio que será uma eleição diferenciada, sobretudo pelo pouco tempo de campanha e tudo que vem acontecendo no cenário político atualmente. Falo muito a vontade porque não sou político profissional e não venho de família política e realmente tudo que vemos desanima mas não podemos achar que não tem jeito porque somente com a união das pessoas de bem poderemos buscar melhorias para a nossa cidade.

Se for eleito, quais projetos pretende defender no legislativo de Itaboraí?

Temos muitos projetos mas creio que hoje o maior projeto é fazer as coisas que já tem no município funcionar, por exemplo: no momento não há projeto maior na área da saúde do que fazer o Hospital Desembargador Leal Jr. voltar a funcionar decentemente para atender a nossa população, temos propostas reais e não vamos apresentar utopias. Mas o diferencial é fazer que nosso mandato tenha uma atuação de parceria popular porque ninguém conhece mais as necessidades de um bairro que não seja os moradores locais.

Quantos votos você precisa para ser eleito?

Essa conta não é fácil de fazer, porque necessitamos da quantidade de votos válidos e isso só sabemos no dia da eleição. Mas quero chamar a atenção para uma campanha que vejo acontecendo que convida os eleitores a pagar a multa e não ir votar, é necessário que saibam que isso é uma estratégia dos que estão no poder e querem se perpetuar lá porque eles tem mais "poder" de fazer as pessoas irem votar e assim tira a possibilidade de haver uma renovação na política, já que os novos candidatos não dispõem dos "recursos" que eles tem.

Para você, nas eleições os religiosos fazem a diferença?

Olha com toda certeza mas não gosto de entrar nessa questão porque acho que cada assunto tem seu lugar, acho que o líder religioso não deve indicar qualquer candidato, creio que o papel de um líder religioso é levar consciência política para que as pessoas possam escolher por elas mesmas a melhor opção para a sua cidade

A sua comunidade apoia sua candidatura à vereador?

Sou criado no bairro de Venda das Pedras, estudei na Escola Salvador de Mendonça e aqui está uma das nossas conquistas mais importante que foi a colocação da grade de proteção na ponte quando fiz contato com o RJ Móvel depois de uma senhora ter caído e veio a óbito pela falta da grade e mesmo assim a Prefeitura não se mobilizou para o reparo. Mas a candidatura não é voltada para um bairro especifico porque o vereador deve atuar em todo o município.

Como você avalia o governo do atual prefeito Helil Cardozo?

Com toda certeza foi o pior prefeito da história de Itaboraí, lembro que comecei denunciando a atual gestão quando fez cem dias de governo onde começou as arbitrariedades desse governo: as vans não voltaram, perseguição aos camelôs, falta de coleta de lixo. No ano de 2015 o prefeito anunciou o que não seria realizado o Desfile Cívico e estive à frente do Movimento "Vai ter desfile sim" que pressionamos e conseguimos a realização do nosso tradicional desfile para as nossas crianças. Fora outros absurdos que foi o fechamento da Escola de Artes, a falta de pagamentos dos profissionais da Saúde e da Educação, Hospital fechado, merenda de péssima qualidade,etc.

Qual sua opinião sobre o trabalho que vem sendo feito pelo legislativo de Itaboraí?

Se temos o pior prefeito também temos os piores vereadores da nossa história, deve-se deixar claro que Helil não é culpado sozinho e a mudança que Itaboraí precisa passa também pela renovação na  Câmara Municipal que deixaram muito a desejar durante essa gestão. O papel do vereador é fiscalizar o prefeito e criar leis que beneficiem a população e é tudo que não acontece lá porque alguns não tem nem postura de discursar, outros nem abrem a boca, enquanto alguns só sabem mudar nomes de rua e dar  moção de aplausos.

Você acredita que tem boas chances de ser eleito vereador? Por que? 

Acredito sim, tenho falado que Itaboraí não pode errar de novo e essa é a chance de eleger um candidato independente, me sinto preparado para representar a população de Itaboraí na Câmara Municipal, minha vida e minha atuação em defesa da nossa cidade me qualificam para merecer a confiança de cada cidadão da nossa cidade.

Para você qual é o maior dos problemas em Itaboraí atualmente?

Hoje a nossa cidade está completamente abandonada, não há um setor que esteja bem. Temos hospital fechado, falta merenda nas escolas, salários em atraso,etc. Vejo que o problema é de gestão administrativa e não é desculpa da crise porque não tivemos um momento sequer ascensão. Foram 506 milhões arrecadados nos tempos em que o Comperj estava funcionando e a população não teve nenhum retorno, não foi investido nada para melhorar a qualidade de vida dos moradores de Itaboraí.

Chegando à câmara, como pretende atuar?

De forma muito independente e transparente porque tenho certeza que a nossa candidatura nasceu da vontade das pessoas de bem que desejam o melhor para a nossa cidade. Vou levar para um futuro mandato tudo que vi e ouvi nessa caminhada de construção de uma cidade melhor para todos porque é assim que tem que ser. Criar leis que beneficiem de verdade a população e fiscalizar o poder executivo nada mais que a minha obrigação pela confiança de todos que acreditarem em nossas propostas.

Para você, qual é o maior problema de Itaboraí atualmente?

Falta de gestão política e comprometimento dos governantes da nossa cidade. É inadmissível o hospital ficar fechado sem atender a população, hoje nossas crianças não tem direito de nascer em Itaboraí. Nas escolas faltam merenda, as crianças são dispensadas das aulas por falta de lanche. Faltou fiscalização dos vereadores e o prefeito ficou bem a vontade para fazer o que desejava com os recursos que vieram do Comperj. Creio que uma Câmara atuante e independente seria capaz de intervir nesse desmando que vive a nossa cidade mas não foi isso que vimos nos últimos anos.

Além da sua família, a comunidade, você conta com o apoio de algum político da nossa região para apoiar sua campanha?

Não temos vínculo com nenhum político para nos apoiar de maneira direta na nossa candidatura, optei por caminhar de forma independente e pago o preço porque não é fácil enfrentar o poder econômico dos atuais vereadores e muitos outros pré-candidatos que estão vinculados ao atual governo. Vou ser fiel ao que acredito,  me manter firme nas minhas convicções e ter na população de Itaboraí como único apoio para irmos até o fim alcançando a vitória sem fazer parte dos interesses econômicos desses grupos que a muito tempo sugam a nossa cidade.

Para finalizar nossa entrevista, deixe suas considerações finais e uma mensagem a população de Itaboraí e nossos leitores em geral

Deixar meu abraço a todos e dizer que o motivo da minha candidatura é buscar o melhor para a nossa cidade, e dizer que eu preciso muito da ajuda de todos que acompanham minha luta pelas redes sociais e assim como eu ama Itaboraí e quer o melhor para a nossa cidade. Cada um de vocês serão importantes para levar nossa mensagem para seus familiares e vizinhos, permanecerei firme na minha convicção de que é possível sim que os moradores do nosso município tenha orgulho de dizer que moram em Itaboraí. Deixar meu muito obrigado a cada manifestação de apoio e carinho que recebo pelas ruas e isso me motiva e faz acreditar em um futuro melhor para todos nós.