Rosangela Gomes diz que os PLS foram necessários para
restabelecer a justiça com os servidores.
Foto: Facebook
Os projetos de lei 63 e 64 aprovados por unanimidade pelos vereadores no dia 28 de junho foram vetados integralmente pelo prefeito Neilton Mulim e retornam à câmara para nova apreciação dos parlamentares.

As proposições, de autoria do vereador Marlos Costa, regulariza o benefício das aposentadorias dos servidores públicos municipais e dá isonomia funcional aos funcionários da secretaria de fazenda.
Nos vetos, o prefeito alegou que os projetos tinham "vício de origem",  não podendo ser propostos por iniciativa da câmara.

Segundo a presidente do sindicato dos servidores (Sindspef), Rosangela Coelho, os pls 63 e 64 foram necessários para restabelecer a justiça com os servidores e por ocasião da falta de iniciativa do executivo que conhecia os problemas e nada fez para mudar a situação: "o executivo foi omisso durante todos esses anos com a questão das aposentadorias. Coube a nós servidores recorrer aos vereadores para resolver essa questão. Se há no entendimento da prefeitura vício de origem nos projetos,  então é dever do prefeito, ciente desse problema, enviar uma mensagem executiva ao legislativo para que esses problemas tenham solução",  disse Rosangela.

Os pls 63 e 64 voltarão a ser apreciados pelos vereadores, que podem derrubar ou manter o veto.

Há ainda uma petição online para entregar aos vereadores, veja AQUI.