Foto: Carú Pastor
Candidato a prefeito explicou importância de regularizar estacionamentos, criar rotas alternativas, pistas seletivas e ciclofaixas. 

O candidato a prefeito Diego São Paio esteve no Porto Novo nesta terça-feira (13) para ouvir  os moradores do bairro. O administrador apresentou propostas sobre infraestrutura e mobilidade urbana.

O morador Lucas Alves, de 23 anos, destacou que a falta de sinalização prejudica a segurança no trânsito, principalmente para quem anda de bicicleta.

“Não temos um espaço específico para o ciclista. Temos que ‘disputar’ com os carros e as motos, o que é bastante arriscado. A quantidade de veículos tem crescido absurdamente, e estrutura do trânsito é insuficiente”, questionou.

Para Diego, os “nós” no trânsito têm afetado a qualidade de vida da população e a economia da região. Para reverter este quadro, o candidato planeja sincronizar os semáforos, regularizar estacionamentos, criar rotas alternativas e faixas seletivas, além de instaurar uma política voltada ao ciclista, com conscientização do trânsito, ciclofaixas, ciclovias e ciclorrotas.

“Precisamos pensar a mobilidade de forma inteligente, com monitoramento por câmeras e previsão de tráfego. Identificar como os fluxos funcionam favorece a criação de medidas que melhorem a vida do gonçalense. Vamos fazer novos abrigos de ônibus, identificar os pontos, com horários e itinerários. Temos projetos piloto que vão refletir em melhorias para esta região, como a ciclovia no Boa Vista e a criação de acesso binário Barreto/Porto Velho. Nossa meta é expandir a cultura do ciclismo para toda a cidade”, explicou Diego, candidato pela Rede Sustentabilidade..

Moradores também relataram problemas de infraestrutura, principalmente os vazamentos de esgoto, como na Rua Capitão João Manoel e na Avenida Porto da Pedra.

“O mau cheiro é horrível. Tem dias em que não consigo nem trabalhar. E como o movimento de carro é muito grande, às vezes alguns passam em alta velocidade e acabam jogando a água suja em quem passa pela calçada”, disse Carmem Lúcia dos Anjos, 54 anos, proprietária de uma banca de jornal no bairro há 18 anos.

Em resposta a esta demanda, Diego falou sobre a criação de subprefeituras, que vão aproximar o contato entre o governo e a população.

“Temos andado por toda a cidade, e as reclamações sobre falta de saneamento básico são recorrentes. São serviços básicos, como pavimentação e coleta de lixo, que têm sido negados. Vamos criar as Prefeituras Auxiliares Zonais (PAZ), para aproximar os serviços públicos dos bairros e facilitar esse diagnóstico das necessidades. Acreditamos que investir em infraestrutura é resgatar o orgulho dos gonçalenses”, afirmou.