Todos os candidatos alfinetaram Brizola Neto. Eles também apresentaram
propostas | Foto: Alexandre Durão/G1
No terceiro bloco do debate promovido na tarde de ontem pelo site G1, da Globo, os quatro candidatos que participaram do debate trocaram perguntas entre si. Mesmo com a ausência de José Luiz Nanci (PPS) e Brizola Neto (PDT), que não compareceram ao debate, a organização permitiu que as os candidatos pudessem fazer perguntas direcionadas para todos os candidatos, mesmo aqueles que estavam ausentes. Aí, os candidatos que participaram aproveitaram para alfinetar o candidato Brizola Neto. Nenhum quis fazer perguntas para José Luiz Nanci.

Nanci alegou questões de saúde e Brizola alegou que não concordava com as regras do debate, apesar de sua assessoria ter participado da reunião que as definiu e ter assinado a ata.

O primeiro a perguntar foi Dilson Drumond, que perguntou a Brizola neto, que estava ausente. Dilson Drumond perguntou a Brizola há quanto tempo ele tem o título de eleitor em São Gonçalo e disse que na página do facebook o endereço dele ainda aparece como morador do Rio de Janeiro. "O que é válido?", perguntou Dilson.

Em seguida, Dilson perguntou para Marlos qual seria sua primeira ação na área de segurança pública.

Marlos afirmou que segurança é um dos maiores problemas hoje em São Gonçalo. Ele falou que irá ampliar o efetivo da guarda e auxiliar o trabalho de segurança. Marlos falou também que buscará o Estado para aumentar o efetivo da PM.

Marlos Costa direcionou sua pergunta ao candidato ausente Brizola Neto, fazendo uma crítica ao seu plano de governo, que tem 2 propostas em 2 folhas. Marlos perguntou ao candidato como ele iria resgatar, em quarto anos, as escolas públicas municipais que não são do modelo CIEP.

Ao candidato Neilton Mulim, Marlos Costa perguntou o que foi feito ao longo dos quatro anos de governo o que foi feito na área de urgência e emergência.

Neilton Mulim garantiu que houveram avanços pertinentes na área, e que em toda a história da cidade, apenas dois equipamentos faziam os serviços de urgência e emergência: o pronto socorro de Alcântara e do Centro. Ele garantiu que dobrou as unidades e que agora há a Unidade de Pronto Antedimento do Pacheco e a mais recente inaugurada, a Unidade de Pronto Antedimento em Nova Cidade e ainda falou que em poucos dias estará fazendo a reinauguração do Pronto Socorro do Arsenal.

Neilton Mulim, na vez de sua pergunta, alfinetou o candidato Brizola Neto. 

"Eu gostaria, candidato, de perguntar, por que fomos candidatos juntos em Brasília, e eu trabalhei muito em Brasília criando uma lei muito importante, uma lei federal e vigente, a lei 13.249, uma lei voltada para a defesa da mulher. E eu queria perguntar ao candidato Brizola Neto se ele tem condições de falar de educação e governar a cidade de São Gonçalo na medida em que ele agrediu a sua mulher e respondeu por isso", disse Neilton.

Em seguida, Neilton perguntou ao candidato Dejorge Patrício. Neilton falou que Dejorge já fez parte do seu governo, em um primeiro momento, e qual era a sua opinião sobre as Unidades de Tratamento de Rios e as Eco-barreiras.

Dejorge disse que quando fez parte da fundação de parques e jardins, foi uma grande experiência que engrandeceu o seu currículo político e destacou as ações de arborização que pode fazer quando foi secretário. 

Na vez de sua pergunta, Dejorge Patrício perguntou ao candidato Brizola Neto. Ele lamentou a ausência do candidato e disse que ele deve ter ficado preso no trânsito de São Gonçalo ou da Barra. 

"O que que você sente tentando enganar o gonçalense. Sendo que você não é da cidade, não tem conhecimento sobre a cidade e diz no seu programa que "as nossas crianças tem que ser bem cuidadas", que nossas crianças? As suas crianças são do Rio de Janeiro, não são de São Gonçalo!", disse Dejorge.

Em seguida, Dejorge perguntou para Dilson qual seriam as suas primeiras medidas na saúde. 

Dilson, que é médico, disse que pretende trazer o hospital do câncer para São Gonçalo e fazer, ao entorno do bairros de São Gonçalo, os Serviços de Pronto Atendimento, para desafogar a rede de saúde. 

Veja como foi o debate na íntegra AQUI.