Imagem: TV Câmara/TV Win
Com novos vereadores eleitos - mais da metade da Câmara - os gonçalenses esperam que situações como a do dia 29, 28 e 21/09 não se repitam na Câmara Municipal. Nestes dias, as sessões duraram, respectivamente, 1:28m, 1:26m e, por fim, incríveis 20 segundos. Assim, os vereadores trabalharam no plenário, nestes três dias, 2:74 minutos. Este tempo é, apenas, para o primeiro secretário anunciar falta de quórum - número mínimo para se inciar a sessão - e, assim, encerra-la. A matemática foi feita de acordo com as transmissões da TV Câmara de São Gonçalo, disponíveis AQUI.

Não vamos entrar aqui no mérito individual do parlamentar que esteve presente ou não, afinal, a Câmara não funciona individualmente com cada parlamentar, e sim os vereadores como um todo. Acho que eles deveriam se reunir e se comprometerem em comparecer às sessões. Essa iniciativa deveria partir do presidente da Câmara - o vereador Diney Marins, que, inclusive, foi reeleito. Iniciativa de cobrar maior presença dos parlamentares para o andamento das sessões e do trabalho legislativo. 

Questionada se há desconto no salário dos vereadores quando faltam e o número de faltas de cada um, a assessoria da Câmara diz que essas informações não podem ser divulgadas, apenas por meio de abertura de processo, onde o interessado em saber deve ir à Câmara, abrir o processo, ser avaliado pelo departamento responsável e chegar ao presidente, que avaliará o caso. Até chegar às mãos de quem solicitou, quanto tempo demora? Informações estas que deveriam, na verdade, ser públicas. 

Lamentável!