Foto: Reynaldo Felix
Previsão é que o corte chegue a 60%.  Prédio que abriga a pasta tem problemas estruturais, como a falta de acessibilidade e de espaço.

O novo secretário de Educação de São Gonçalo, Diego São Paio, deu início à sua gestão com uma redução de 50% no número de cargos comissionados. O anúncio foi feito na última segunda-feira (02/01) em uma grande reunião com profissionais da área, realizada no Centro Cultural Joaquim Lavoura, mais conhecido como Lavourão, na Estrela do Norte. No encontro, que reuniu cerca de 250 pessoas, Diego anunciou as primeiras medidas e apresentou os subsecretários.

“A Secretaria de Educação tinha 630 nomeados apenas para trabalhar administrativamente. Muitos fantasmas, indicações da época do prefeito Bravo. Cortamos na própria carne, reduzimos o número de comissionados pela metade e montamos uma equipe séria e competente. Pela primeira vez na história de São Gonçalo, a cidade terá uma subsecretaria dedicada à Educação Infantil. O prefeito José Luiz Nanci nos confiou a missão de fazer uma educação de qualidade e vou honrar este compromisso com muito trabalho e profissionalismo”, afirmou o secretário.

E o trabalho já começou a todo vapor. Nesta quarta-feira (04/01), o secretário e sua equipe se encontraram com representantes das creches conveniadas para apresentar às unidades a proposta da subsecretaria, que tem como responsável a professora Janine Siqueira. Uma das novidades da gestão de Diego São Paio é que as creches conveniadas terão apoio pedagógico da Secretaria, explorando o desenvolvimento infantil e não sendo apenas espaços onde as crianças ficam enquanto seus responsáveis trabalham.

Nesta quinta-feira (05/01), Diego se reuniu ainda com representantes do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE), e com o subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Evanildo Barreto, para discutir uma parceria entre as duas pastas para a realização de projetos de cidadania e capacitação profissional.

Transição – A equipe do ex-prefeito que estava à frente da Educação até o último dia 31 não cooperou com a transição e dificultou o acesso a documentos e dados que traçassem um panorama real da pasta. Quando alguma informação era repassada, nada tinha a ver com a realidade dos alunos e dos profissionais de educação. A gestão de Diego São Paio enfrenta agora dificuldades para ter um lugar para trabalhar já que o Lavourão – prédio destinado à Cultura e que abrigava a Secretaria de Educação – não tem a mínima infraestrutura e não tem espaço suficiente nem para o novo quadro de funcionários, que foi reduzido pela metade.