A Câmara dos Deputados realiza neste momento a sessão de eleição dos 11 cargos que compõem a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. Serão eleitos um presidente, dois vice-presidentes, quatro secretários e quatro suplentes que comandarão os trabalhos na Casa entre 2017 e 2019.

Apesar do favoritismo de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que substituiu o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na presidência da Casa, cinco outros candidatos ao cargo se registraram: Júlio Delgado (PSB-MG), Jovair Arantes (PTB-GO), André Figueiredo (PDT-CE), Luiz Erundina (PSOl-SP) e Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Para ser eleito em primeiro turno, o candidato mais votado terá de obter metade mais um do total de votos (maioria absoluta), observado o quórum mínimo de 257 votantes. Se isso não ocorrer, os dois mais votados irão a segundo turno e será eleito o que obtiver maioria simples. Em ambos os casos, os votos em branco serão contados para efeito de quórum, mas não serão contabilizados os votos nulos.

Como Maia é candidato, a condução da sessão ficou sob o comando do deputado Beto Mansur (PRB-SP), atual 1º secretário da Casa.

Antes da votação, cada um dos seis candidatos terá 10 minutos para discursar no plenário aos colegas do Legislativo. A ordem de discurso e a ordem que os nomes aparecerão na urna eletrônica foram definidas por sorteio: Rodrigo Maia, Jair Bolsonaro, Jovair Arantes, Júlio Delgado, André Figueiredo e Luiza Erundina.

Em busca de apoio na Câmara, Maia articulou a formação de um bloco de 13 partidos que, juntos, somam 358 deputados.

Se o deputado do DEM for eleito, esse "superbloco" terá o direito de indicar todos os integrantes titulares da Mesa Diretora. Têm preferência nas indicações os partidos ou blocos com o maior número de parlamentares.

RODRIGO MAIA É ELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS


Acompanhe ao vivo.
Texto: Diário do Poder