Foto: Ascom/SMDS
Dez famílias reuniram-se para mais uma reunião do programa Família Acolhedora, que atua há seis anos em São Gonçalo e possui, aproximadamente, 25 famílias inscritas e capacitadas para acolher crianças de 0 a 6 anos de idade em situação de vulnerabilidade social. O objetivo desses encontros é aproximar e promover a troca de experiências entre essas famílias. A reunião contou com a presença do secretário municipal de Desenvolvimento Social, Marlos Costa.

O serviço de família acolhedora é uma modalidade de acolhimento, neste caso temporário, feito por famílias selecionadas, cadastradas e capacitadas para receber crianças de 0 a 6 anos em suas casas, por um período determinado. A proposta é acolher e tornar novamente possível a convivência familiar e comunitária. Durante todo o período do acolhimento, as crianças, suas famílias de origem e as famílias acolhedoras recebem apoio e orientação permanente de uma equipe técnica do serviço, composta por assistente social, psicólogo e educadores sociais.

Diante deste processo, as reuniões realizadas entre as famílias acolhedoras e as equipes técnicas do programa são mensais. A psicóloga Rachel Baptista ressalta a importância do programa e destaca o fato de as novas mães não adotarem as crianças, mas sim as acolherem por um determinado período.

“A 'Família Acolhedora' atua sobre as crianças que precisam de proteção e isso é encontrado nas famílias cadastradas, ao assumirem a responsabilidade de estimular o desenvolvimento dessas crianças. As famílias recebem todo o apoio da Prefeitura, inclusive de alimentação, além do acompanhamento feito pela equipe técnica. Mesmo ficando com a criança por um período definido por um juiz, isso ajuda muito em uma possível reinserção do menor à sua família de origem”, explica a psicóloga.

“A aproximação de todos é essencial para um acolhimento que a criança merece, com amor, afeto e cuidados”, avalia o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Marlos Costa.

As reuniões também contam com a secretária de Políticas Públicas para Idoso, Mulher e Pessoas com Deficiência, Marta Maria Figueiredo. Interessados em participar do programa devem comparecer à Travessa Uriscina Vargas, 36, Mutondo, ou ligar para o telefone 3719-2473.