Prefeitura divulgou nota comentando greve dos profissionais da educação
Foto: Thiago Freitas/Extra
O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE) de São Gonçalo realizou assembleia geral hoje, no Colégio Castelo Branco, para decidir os rumos da categoria. Os profissionais da educação recusaram a proposta do governo em parcelar em até oito vezes o salário (atrasado) referente ao mês de dezembro de 2016, decidindo pela entrada da greve. 

Em nota ao blog A política RJ, a Prefeitura de São Gonçalo comentou a decisão dos profissionais da educação.

O prefeito entende e reconhece o direito dos professores sobre o recebimento dos salários de dezembro de 2016, passivo este deixado pelo governo anterior, somando também o 13º dos servidores, que foi quitado em janeiro deste ano. Esta foi a forma encontrada pela atual gestão, em conformidade com o Ministério Público e a Justiça, para honrar com a dívida atrasada e, ao mesmo tempo, poder pagar os salários de janeiro em dia, depositados para todos os funcionários no último dia 27. A expectativa era depositar os valores no quinto dia útil de fevereiro. A medida reforça o compromisso assumido pelo prefeito, José Luiz Nanci, de buscar não atrasar os pagamentos do calendário 2017.

A secretaria de educação informou ao blog A política RJ quais medidas pretende tomar para que a decisão da greve não interfira no inicio do ano letivo da rede municipal.

A Secretaria de Educação informa que seguirá o cronograma de orientação e preparação junto aos profissionais da rede por meio da Semana Acolher e Cuidar, que começou nesta segunda e vai até sexta-feira (03). A Semed também realiza o preenchimento das vagas remanescentes das unidades, na expectativa de retomar o calendário letivo na próxima segunda (06).