Vereador Sandro Almeida | Foto: Reprodução/TV Câmara
A Câmara Municipal do município representa o Poder Legislativo, enquanto a prefeitura, representa o Poder Executivo. Ambos são poderes distintos, independentes, mas que atuam juntos (ou pelo menos deveriam). Mas, em São Gonçalo, o Poder Legislativo é submisso às ordens do chefe do poder executivo, que é o prefeito. A influência do prefeito é tanta sobre os vereadores que alguns chegam ao ponto de recusarem assinar ata de reunião onde os mesmos participaram.

Na sessão plenária do dia 31 de outubro, o vereador Sandro Almeida falou sobre a reunião da comissão de infraestrutura da Câmara, que ele é presidente, e são membros os vereadores Armando Marins e Eli da Rosabela, onde o vereador Eli, após receber uma ligação, recusou-se a assinar a ata da reunião que ele mesmo compareceu.

"Hoje, inclusive, eu fiz uma reunião do conselho de infraestrutura, do qual o vereador Eli da Rosabela participou, e o vereador Armando Marins [...] eu fiz um convite ao secretário de infraestrutura para participar conosco da discussão do debate, o que é extremamente natural e democrático, e o secretário não veio. [...] Telefonei para o secretário perguntando se ele viria, 40 minutos após, e o secretário disse que não viria [...] O telefone do vereador Eli tocou, que com certeza o secretário ligou para o gabinete do prefeito, porque ele me perguntou quem eram os vereadores que faziam parte da comissão, o vereador foi atender o telefone e voltou com a cara transformada dizendo que não iria assinar a ata da reunião que ele participou! Aí eu pergunto aos senhores, isso aqui é uma casa independente? Isso aqui tá com o umbigo agarrado no executivo e quando a patroa liga todo mundo corre, não é possível! Isso não é papel de homem! O cara participar de uma reunião e se negar a assinar uma ata, como se ele não estivesse ali!", esbravejou o vereador Sandro Almeida.