Igreja Matriz de São Gonçalo, fundada por Gonçalo Gonçalves
Foto: Reprodução/Internet 
O vereador professor Paulo usou a tribuna da Câmara Municipal na sessão plenária da última terça-feira (07) para falar sobre um erro histórico sobre o tempo de existência de São Gonçalo. Segundo o vereador, até a história do município é contraditória.

"Nossa cidade ela vive a contradição desde sua fundação. Completamos recentemente, 22 de setembro, 127 anos de existência, uma grande contradição! As outras cidades ao nosso redor, a maioria delas, o tempo de vida das cidades é contado a partir do momento que foi dado uma sesmaria àquela localidade. Ao contrário de Niterói, que tem mais de 400 anos, em que o marco inicial da sua cidade conta desde a época que foi dado pelo Império Português aquela sesmaria ali, São Lourenço dos Índios, por volta de 1568, e desde essa data se conta a fundação do município de Niterói", afirmou o vereador, explicando, em seguida, o erro que é cometido em São Gonçalo, contando sua existência à partir da data de emancipação político-administrativa, e não sua data de fundação.

"Foi recebida pelo Senhor Gonçalo Gonçalves uma sesmaria em 1569, não era para São Gonçalo ter seu tempo contado a partir daquele momento em que recebeu sua sesmaria? A culpa não é nossa, é de quem viveu aquela época que não lutou para que fosse contado a partir daquela época. Se nós levássemos em consideração o tempo em que Gonçalo Gonçalves ganhou aquela sesmaria, São Gonçalo teria 448 anos, e completamos apenas 127 anos", disse o vereador.